segunda-feira, 9 de junho de 2008

A invasão dos marcianos


Passam este mês 50 anos. Às 20 horas e 5 minutos do dia 25 de Junho de 1958 a Rádio Renascença iniciava a transmissão de "A invasão dos marcianos", uma emissão que constituiu um marco inovador na produção e realização radiofónica em Portugal. Este trabalho de Matos Maia replicava no nosso país, o programa feito 20 anos antes, nos EUA, por Orson Welles a partir de "A Guerra dos Mundos", um romance original de H.G. Wells, adaptado para rádio com um guião em forma de noticiário. Apesar de ser um remake e de, também entre nós, ter sido apresentado como uma ficção científica radiofónica, nem por isso o programa deixou de ter um enorme impacto junto de milhares de ouvintes e o próprio Matos Maia acabou por ir ter de prestar declarações à PIDE, a polícia política do regime de Salazar, no final da emissão.


Na transcrição do guião do programa, que o livro acima reproduz, pode avaliar-se um dos grandes méritos da adaptação, justamente aquele que diz respeito à utilização das técnicas mais adequadas para relatar um acontecimento: reportagens, entrevistas com testemunhas, opiniões de especialistas e autoridades, efeitos sonoros e som ambiente. Todos estes ingredientes, apresentados sequencialmente em episódios exaltantes seguidos de pausas para respiração, constituem uma autêntica lição de jornalismo radiofónico. Antecipando o que viria a ser feito, mais tarde, nas rádios de notícias - o acompanhamento em directo de acontecimentos extraordinários - o programa "A invasão dos marcianos" ficciona a transformação numa emissão contínua dedicada ao acompanhamento exaustivo de uma determinada situação após a transmissão de um breaking news interrompendo a programação normal.